Esteatose hepática: o diagnóstico que atormenta

José Carlos Ferraz da Fonseca

Médico especialista em Doenças do Fígado (Hepatologia)



Fígado de aspecto amarelado (esteatose hepática)
em decorrência do depósito acentuado de gordura





Todo brasileiro nato tem algumas paixões e preferências. Ou é o carro novo, a cerveja estupidamente gelada, a caipirinha, rir de tudo, jogar conversa fora, a roda de samba ou pagode e o futebol com os amigos no sábado à tarde. Entretanto, o brasileiro é capaz de esquecer todas as suas paixões e preferências nacionais quando recebe através da ultra-sonografia o diagnóstico médico de infiltração gordurosa no fígado (esteatose hepática). Se o laudo descritivo da esteatose hepática for em cruzes, aí é um Deus nos acuda! Na primeira consulta, a fisionomia aterrorizada do paciente é preocupante. Pronto, para o paciente chegou o dia do juízo final, do encontro precipitado com os querubins e o fim do prazer cotidiano. E agora Doutor, o que faço? É grave ou é o começo de uma cirrose? O médico da ultra-sonografia disse que eu estava com três cruzes de gordura no fígado: Doutor José Carlos, não é muita cruz para um fígado tão inocente? E continua o desespero - oh Doutor, devia ter ouvido os conselhos da minha mãe: “meu filho não abusa da gordura e da cerveja, olha o teu fígado!”. Sei o roteiro completo e o final do filme há dezenas de verões passados e já estou acostumado com tais perguntas e lamúrias. Na minha clínica particular, de cada dez pacientes que atendo pela primeira vez, seis são portadores de esteatose hepática.

A esteatose hepática é uma doença grave que acomete o fígado? Ou é um simples achado de um exame ultra-sonográfico? O que sabemos sobre esteatose hepática é que tal doença (alguns não consideram nem como doença) teria origem a partir de um distúrbio metabólico adquirido que resultaria em depósito de triglicérides nas células do fígado (hepatócitos), sem provocar qualquer lesão ao fígado. Apesar da esteatose hepática ser considerada por alguns como a primeira fase da esteato-hepatite não alcoólica do fígado (lesão necroinflamatória do fígado), conjeturasse que a esteatose não é tão grave assim, mas a sua evidência na ultra-sonografia indicaria uma possível doença sistêmica que favoreceria o acúmulo de gordura no fígado. Quais seriam as principais causas deste acúmulo? São várias e considero como as mais importantes: a obesidade, diabetes tipo 2 (ocasionalmente diabetes tipo 1), vida sedentária e a presença de hiperlipemia no sangue (hipertrigliceridemia, hipercolesterolemia ou ambas).

Como se comporta clinicamente um paciente com o diagnóstico de esteatose hepática feito pela ultra-sonografia? Na minha experiência, grande parte dos pacientes são assintomáticos. Com raras exceções, alguns pacientes queixam- se de dor ou um leve desconforto (sensação de peso) no lado direito do abdome, geralmente abaixo das costelas. Outras queixas como tonturas, zumbidos, diarréia, enjôos (náuseas), são devidas principalmente pela hiperlipemia ou pelo diabetes descompensado. Muitos pacientes podem permanecer indefinidamente na fase estável de esteatose, enquanto outros passam a esteato-hepatite e têm um curso progressivo. Laboratorialmente, a função bioquímica do fígado está normal, ou seja, os níveis bioquímicos das aminotransferases (transaminases) encontram-se normais e não ocorre progressão para cirrose.

Existe algum tipo de tratamento para tal doença? Tratamento específico, ainda não! Todavia, quando a esteatose hepática está associada à obesidade, ao diabetes tipo 2, vida sedentária e à presença de dislipidemia, podemos recomendar o seguinte: controle do peso (dieta, prática de caminhada e hidroginástica), do diabetes (controle do peso em diabéticos obesos, dieta e drogas antidiabéticas), controle da hiperlipemia (dieta e drogas hipolipemiantes). Com tais procedimentos médicos indicados e, se seguidos pelo paciente, poderá ocorrer uma melhora significativa, ou até desaparecimento do quadro de esteatose hepática na ultra-sonografia em menos de oito meses. A persistência da prática da dieta, do exercício e controle do diabetes e da hiperlipemia fará com que a doença não volte. Portanto, se você tem mais de 40 anos, sugiro que faça uma vez por ano um exame completo e, se possível, uma ultra-sonografia do seu fígado. Praticando tal orientação médica, com certeza o seu fígado vai agradecer este seu ato de fé e piedade consigo mesmo.

16 comentários:

Napoleão Landim disse...

Caro Dr. Jose Carlos,

Bastante esclarecedor, com linguagem simples, de fácil entendimento. O mais interessante é que tudo ocorreu conforme sua descrição, devido a sua vasta experiencia e conhecimento. Desde a noticia da esteatose hepática dada pelo médico ultra sonografista até os conselhos da mãe e da mulher também...´não abusa do teu figado, ajeita tua alimentação..´...sem falar dos acordes dos querubins que eu ja escutava. Mas depois da consulta e da leitura do seu Blog estou bem mais tranquilo. Obrigado e parabéns pelo Blog.

Anônimo disse...

Parabéns pelos esclarecimentos.
Fui diagnosticada com a Esteatose hepática não alcoólica e estou com esperança de melhorar logo. Sinto muito cansaço nos músculos, principalmente nos membros inferiores.
Acho que mais informações devem ser divulgadas para que possamos conhecer um pouco mais da doença.

Anônimo disse...

quero agradecer a este medico DR Jose carlos obrigado pelo que esta a fazer por mim,por todos.que Deus o abençoe pelo seu tempo que nos dedica um bem haja do fundo do meu coraçao.neste momento estou apassar face dificil amrgos de boca e dores abdominaveis,mas ira passar tenho fe abraço para si dr carlos

marilene disse...

Marilene diz:
Explicação clara e simples, sem rodeios ou termos técnicos, complicados que outros costumam usar.Parabéns todos deveriam se espelhar em voce.

kita disse...

Olá, Dr. José Carlos
Gostaria de agradecer, pelas explicações simples e esclarecedora,fiquei bem mais tranquila,estou fazendo um tratamento de estômago, foi este motivo que cheguei no Ultra-Som Abdome total,quando olhei o resultado "Esteatose hepática" fiquei preocupada e com medo,agora com a sua linguagem simples, consegui entender muito bem o problema, talvez a descoberta de todo o meu mau estar,tenho que levar o resultado para o medico, mas bem tranquila. Maravilha que podemos ter acesso a este tipo de blog.obrigada
Kita Marquesa

Anônimo disse...

Muito obrigado,

Parabéns pelo trabalho objetivo e esclarecedor.

Olavo Antonio disse...

Caro Doutor José Carlos
Todo médico deveria como o Sr., possuir conhecimentos de conceitos psicológicos para alívio de pacientes sem esclarecomentos médicos.
Geralmente esses achados ultrassônicos como ESTEATOSE soam como sentença final e lendo seus comentários com conhecimentos profundos, adquirimos alívio, dada a percepção da narração simples e objetiva.
De minha parte, muito obrigado e fique com Deus.

Anônimo disse...

Dr. josé carlos li seu comentário sobre esteatose hepática e ele é tão contundente que chega até a evengelizar as pessoas quanto ao cuidado com a morada do seu espirito que é a sua estrutura carnal,Parabens! ou seja acorda gente!!!

Miriam disse...

Dr. José Carlos:

Assim como todos os depoimentos já dados como a maneira simples e humana com a qual explica esta doença, gostaria de agradecer por esta explanação que me trouxe mais tranquilidade e ânimo para me cuidar e inclusive já emagreci e comecei a fazer dieta. Fiquei muito mais tranquila, após o seu esclareciemnto. Obrigada por nos tranquilizar. Miriam

Anônimo disse...

Quero agradecer pela explicação esclarecedora. Recebi resultado da Ultrasson ontem, e fiquei desesperada, já marquei Gastroenterologista. Engordei cerca de 20 kilos e tenho útero aumentado, devido miomas,não bebo e não fumo.Sei que posso reverter esse diagnóstico após suas explicações. Obrigada.
Elizabeth

Anônimo disse...

Li o meu exame e fiquei assustada, pois dizia ali que, eu estava c/ esteatose hepática. Meus Deuses! Mas depois que entrei neste blogue fiquei mais aliviada. Foi muito esclarecedor. Só tenho a izer; Obrigada! Isis maciel

Anônimo disse...

Li o meu exame e fiquei assustada, pois dizia ali que, eu estava c/ esteatose hepática. Meus Deuses! Mas depois que entrei neste blogue fiquei mais aliviada. Foi muito esclarecedor. Só tenho a dizer; Obrigada!Dias eliza!

MARINETE disse...

OLA,DR JOSE CARLOS
AGRADEÇO POR SUAS EXPLICAÇÔES,FIQUEI MAIS TRANQUILA,APESAR QUE SOFRO MUITO COM ESA ESTEATOSE JA FAZ UNS 10 AN0S.

Maria Lucia Mesquita disse...

Dr. José Carlos,
Muito obrigada pelo seu trabalho de utilidade pública, muito bom mesmo.
Maria Lucia Mesquita

Maria Lucia Mesquita disse...

obrigada pelo esclarecimento, muito útil.

Anônimo disse...

Meu pai está com Esteatose e adoramos o Blog. Muito esclarecedor, muito mais elucidativo que uma consulta.